terça-feira, 12 de dezembro de 2017

"Agora pela madrugada,vindo ao Hospital da Restauração Recife,encontramos no país do carnaval e dos estádios padrão FIFA a situação degradante de um povo que merecia respeito!



" Um verdadeiro perigo neste sobrado, em frente a Câmara Municipal de Olinda Foto:JSC

Na Rua 15 de Novembro nº 84 no Varadouro, essa fiação desordenadas , segundo informação já pegou até fogo,um risco para quem trabalha no local. Cadê a Celpe, que não aparece para resolver o perigo, só quando acontecer uma tragédia. Aliás na cidade Alta toda fiação é cima das casas como já foi denunciado neste Jornal, até agora nenhuma providência foi tomada pelas as autoridades.

"Os moradores da Rua Frei Antonio Jaboatão, no Pátio da Feira de Peixinhos, no areal são obrigado a conviver com esse esgoto Foto:JSC

A céu aberto nem a Prefeitura de Olinda assume o descaso tão pouco a Compesa, os moradores é quem estão desobistruindo o esgoto. a comunidade disseram a reportagem do SEM CENSURA que existe um Vereador Algério, mais anda sumido disseram os moradores.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

HISTÓRICO DE FUNDAÇÃO DO JORNAL SEM CENSURA Foto: JSC

O Jornal SEM CENSURA, foi fundado pelo Jornalista e Radialista Jota Neto no dia 23 de Janeiro de 2002, com o objetivo de atender o anseio da sociedade civil, principalmente às reivindicações das comunidades servindo de elo entre elas e as autoridades, é um meio de comunicação que circula na região metropolitana do Recife, buscando notícias a serem publicadas no Jornal SEM CENSURA, impresso que vem beneficiando a população pernambucana. Completou 15 anos no mês de Janeiro de 2017, e ainda estamos celebrando com os amigos essa data que é importante para a imprensa , só temos a agradecer a Deus e a todos aqueles que valorizam o nosso trabalho jornalístico. Em 2018 celebramos 16 anos.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

VISITAÇÃO DOS TURISTAS NAS LOJAS DE ARTESANTOS É DIFÍCIL Foto: JSC


Alguns comerciantes da cidade Alta de Olinda, denunciam que os turistas não entram nas lojas de artesanatos eles culpam os guia turístico de Olinda, além disso cobram dos visitantes em média de R$ 50.00 ou fazem um pacote e ainda recebem um percentual das lojas visitadas, até agora a Prefeitura de Olinda,não tomou nenhuma providência, como também alguns deles não sabem abordar os turistas. Já as câmeras de vídeo da SDS, não sabemos se funcionam. Com palavra as autoridades de Olinda.